Faixa a faixa na real de Luan Santana Ao Vivo no Rio

8 jun


Epílogo.

Oi gente, este é meu primeiro post oficial como um membro desta família Múltipla. E como ninguém disse que não podia estreio em grande estilo e com um post enorme de gigante. Mas é uma ocasião especial. Afinal de contas estou escrevendo aqui pela primeira vez e o primeiro post é sobre ele, meu amor, isso mesmo: Luan Santana.

Fim do epílogo.

Vocês podem até não acreditar, mas Luan Santana é bom! E pra mostrar pra vocês que eu não tô dizendo besteira, proponho-me uma tarefa heóica.

Desenvolvo nestas mal traçadas linhas um faixa-a-faixa do mais recente lançamento deste cantor sertanejo pop que não é só mais um rostinho bonito no nosso cenário musical.

O disco começa com “Adrenalina”. O single foi lançado em meados de outubro do ano passado, muito antes da gravação do CD/DVD propriamente ditos que aconteceu em dezembro. Boa escolha, porque ambienta a gente, sabe? Dando aquela cara de familiaridade.

“Um Beijo” vem a seguir. E essa é fofa. “Saio cantando do chuveiro, eu sou o cara mais feliz do mundo inteiro”, anuncia o lindo. Quem nunca se sentiu assim numa noite antes de sair de casa? Cê vai encontrar aquele gatinho e dizer que tá apaixonada. Daí cê trava. Começa a gaguejar. Deixa acontecer e o coração se entregar, boba. “Um beijo vale mais que mil palavra”, diz o refrão. É meio clichê, mas é verdade. Clichês funcionam justamente por isso. Fica a dica.

Uma das mais legais do CD, “Palácios e Castelos” tem uma cadência gostosa. Amorzinho gostoso, adolescente e super romântica. A letra é meio boba, mas dá pra dançar abraçadinho e agitadinho.

Que dizer da quarta música? “Química do Amor” conta com participação da Ivete Sangalo. Só que eu curto mais Claudia Leitte. A música é animada e eu não gostei no princípio. Mas os refrões grudam na cabeça. Daí não tem jeito. “Eu quero ser o seu amor, tô louco pra me entregar” e “Diga, que você vai entrar na minha vida”. Problema: Luan diz que está xonado. E isso é muito cafona. A menos que ele diga isso no pé do meu ouvido. Se não dá pra achar bonitinho não. Péééééééééééééééé Pula. Próxima.

“As lembranças vão na mala”. É uma música de superação de fim de relacionamento. Mais ou menos. É aquele típico discurso de não me deixa, só que mostrando pro amado que quem vai perder é ele. Acredite, não é piegas. E fala dessas coisas fofas como ver por do sol abraçado, e sinistras como solidão, e peso na consciência.

Sabe quando você tá a fim de uma pessoa e tudo dá errado? A agenda não bate, o outro sujeito está ocupado com outras prioridades. Você vai chegar nele e ela tá com outra? Então. “Não era pra ser” é a música mais realista do CD. Resume lindamente minha vida amorosa. No meu caso nunca é pra ser. RISOS. Próxima, antes que eu corte os pulsos. BRINKS.

O conceito de “A Bussola” é um pouco cafona. Mas é uma declaração de amor (?). E qual declaração de amor não é assim? Você tá perdido na vida, e a pessoa te mostra o leste, para ver o sol nascer. Fala aí, não é bonito?

Oitava faixa do CD e chegamos em “Feiticeiro”. A música abre com um dos versos mais legais e vingativos de todas. Pessoa te fez mal, mas né, o mundo gira e daí ela se fode. “O feitiço virou contra o feiticeiro”. Que que fazemos? Vamos no show do Luan Santana pra comemorar esse fim de relação, óbvio!

Daí chegamos em “Superamor”. Começa falando em desafio à lei da gravidade. Não se iluda. O refrão parece superfofo mas na real a letra é superinfantil. “Quero ser o seu super-herói, te dar um superamor” // “É só fechar os olhos e imaginar você que eu sinto a energia como um superpoder”. Tá vendo? Eu disse. Se o CD todo não fosse bom dava pra pular essa faixa. Mas a gente é fã, aceita essas coisas meio vergonhosas. Fazer o quê?

Sendo assim, adiantamos. Até agora eu não sei quem é Belinda. Sei que ela fala espanhol. Mas como não vi nenhum perfil dela na Ilustrada, na Serafina ou no Fantástico, continuo sem saber quem é a moça. E fiquei com preguiça de dar um google pra fazer esse texto. Fato é. No começo eu não gostei da participação dela no CD. Hoje eu sou apaixonado pelas partes que ela canta a música “Meu Menino (Minha menina)”. É incrível e viciante. “No me pregunte”. Atente para o refrão “Tu maneira, tu sorrisa, tu aparencia de niño que me agrada”. Gente. Sorrisa é a palavra mais legal do mundo!

A próxima música do CD é uma das melhores. Eu sei que eu falei isso de várias. Mas “Desculpas” é realmente boa. A letra é moderna, atual, sabe assim? Fala sobre isso. Pessoa que fica dando as desculpas mais espalhafatosas do mundo. Tudo sempre acontece com ela. E é tudo mentira. Obviamente. Sugiro o exercício de decorar o começo. Eu ainda não decorei. Mas vou.

O grande hit deste CD – a música está na novela afinal de contas – é “Amar não é pecado”. Gosto bastante e tals. Mas não consigo deixar de pensar que significa. Sim, exatamente. “Tive medo, em segredo, guardei o sentimento e me sufoquei. Mas agora, é a hora, vou gritar pra todo mundo de uma vez”. Se isso não for uma espécie de outing discreto então eu não sou gay. Mas olha, eu apostaria minha bichice nessa hipótese. Claro que Luan vai continuar negando. Mas só dele saber que eu catei o que a letra quer dizer… bem… fica dado o aviso… Pode me ligar, viu gato?

A penúltima música é para aqueles que falam que gostam de sertanejo (mas pode ser samba) de raiz. Existe mentira mais cabeluda que essa? Geralmente esse tipo de gente que diz gostar de música de raiz tem preconceitos musicais e não entende de porra nenhuma de samba nem de pagode nem sertanejo. Só quer pagar de cool. Bom, dito isto. Zezé di Camargo e Luciano, aqueles lindos, fazem uma participação especial em “Amor Distante/Inquilina de Violeiro”. E no meu mundo, mais raiz que Zezé e Luciano, só Tunico e Tinoco, Jane e Erundi. Essa gente legal.

É massa a letra e a música. Dá aquela sensação gostosa de sítio do tio Rogério. Poderíamos terminar por aí. Mas não. Luan vem com “Conquistando o Impossível”. Precisava? Não. Não precisava. Essa música tem uma pegada meio crente, meio gospel, meio evangélica. Mas até aí. O que é um peido pra quem tá cagado? A gente já ouviu o CD inteiro várias vezes mesmo, que uma a mais uma a menos nem faz diferença.

Resumindo. Se tudo isso não foi suficiente pra te convencer, continua aí ouvindo Adelle – nada contra, viu Mari?- mas eu daria essa chance pro rapaz. Afinal as letras tratam de coisas que acontecem com a gente a todo momento. E este CD  vale muito à pena. Quero ver todo mundo ouvindo e falando pra mim o que achou.

É isso.

Por enquanto

Anúncios

2 Respostas to “Faixa a faixa na real de Luan Santana Ao Vivo no Rio”

  1. Marii 08/06/2011 às 10:46 #

    Hahahaah!! Will, amei o post! Tipo, não vou ouvir o álbum nem nada ~principalmente por ter tocado no nome DA MINHA DIVA ADELLE. Mas morri de rir! “Dá aquela sensação gostosa de sítio do tio Rogério.” foi a melhor frase que li na internerda hoje!

    Ficamos no aguardo de mais posts delicia como este! E né… SEJA BEM VINDO, SEU LINDO!

  2. Titi 08/06/2011 às 11:38 #

    Willllll!! Tô tãããão feliz de tê-lo por aqui….tenho que confessar o que todo mundo já sabe: sou bem chegadinha num sertanejo!! E adoro “Saio cantando do chuveiro, eu sou o cara mais feliz do mundo inteiro”!!! Bem vindooo sô! Agora não vou sofrer bullyng sozinha hahahahaha
    beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: